Pular para o conteúdo principal

Cacos e humor de algodão

Por: Bárbara Fragoso

Horas e horas a navegar com Goethe. Respirei e decorei suspiros de Mozart e de algodão.
Sentei-me com Clarice Lispector e choramos com tantas semelhanças.
De que adiantava tudo isso? Minha mala da vida havia quebrado.
As rodinhas não corriam mais e os insetos interiores rastejavam com as minhas ignorâncias.
Eu? Pobre viajante.
Preferi que os cacos sumissem.
Busquei nova bagagem. Novo ar.
Calcei os pés. Engoli depressa o humor e saí a vagar.


Comentários

Biga disse…
Seu blog é lindo.... poético... :-)